Às vésperas do parto

petalas

Na sexta-feira, dia 12 de dezembro de 2014, o pessoal do trabalho do Marcos estava organizando um churrasco de confraternização. Fim de ano, sabe como é?! Eu desanimada, falei pra ele: quando a carne estiver pronta você me liga avisando e só aí eu vou! kkkkkk Sim, nesse ponto eu só saía de casa por um excelente motivo! kkkkkk #vaigordinha No fim da tarde o Marcos me liga: amor, estou indo pra casa te buscar, ok? Ele me pegou em casa e ainda fomos atrás de umas bebidas para a festa, é mole?! E eu querendo comida!

Chegamos na festa e os amigos vieram pegar as bebidas no carro. Viram o bebê conforto instalado e começaram a brincar com a gente, muito animados, e a gente se explicando: ‘nunca se sabe né, melhor deixar ele aí, no lugar’. Subi pra festa e comi horrores! Logo chegou uma amiga muito querida com a filhinha dela e ficamos conversando e trocando figurinhas. Todos perguntando quando a Mariana ia chegar e eu repetindo o mantra ‘depois do Natal’. Depois do churrasco eu ainda me entupi de sorvete! kkkk Aqui em Curitiba o verão é muito quente.

Fomos pra casa já a noite, tomei um banho e apagamos na cama. No meio da madrugada eu acordei com cólicas. ‘Mas gente, não é possível que logo hoje que o Marcos está travado na cama essa menina vai querer nascer!’. Levantei e fui ao banheiro. Fiz xixi e tudo normal. Meu receio era que eu estivesse perdendo o tampão. Mas nada. Dei uma caminhada pela sala e o Marcos roncando na cama. Logo a dor amenizou e eu dormi de novo.

No dia seguinte eu acordei ótima. A falta de ar que eu vinha sentindo a semanas tinha amenizado. Liguei os pontos: Mariana deve ter encaixado! Se eu senti um alívio para respirar era porque ela estava mais baixa! Liguei pra minha mãe e contei. Estava radiante de alegria!

Minha mãe: – Filha, Mariana vem dia 21.

Eu: – Que isso mãe, tá doida? Ela só vem depois do natal, não cria expectativa.

Mãe: – Eu sonhei com a sua avó, ela me disse que a Mariana vem dia 21.

Eu pensando, gente minha mãe surtou. kkkk Coitada, é expectativa demais pra ela.

Eu: – Como foi o sonho?

Minha mãe: – Eu sonhei com a minha mãe e ela estava jovem e bonita. Ela me perguntava que dia era. Eu respondia que era dia 21/12, meu aniversário de casamento. Ela então me deu uma caixinha bem pequena. Dentro da caixinha tinha uma pétala de rosa, mas parecia feita de madrepérola. Era cor de rosa. Eu olhei pra sua avó e ela me disse ‘não é uma menina?’ e sorriu.

Eu fiquei muito emocionada e mexida. Bem na noite em que a Mariana encaixou! Era muita coincidência! ‘Gente, essa menina vai nascer antes do Natal’, comecei a martelar na minha cabeça. Eu resistia em acreditar nisso, porque tinha medo de me decepcionar. Eu sabia que quem espera parto normal pode passar das 40 semanas e se isso acontecesse a Mari só ia nascer em 2015.

No domingo fomos à missa, estávamos no período do advento, a preparação para a vinda do Senhor. Eu orava e me emocionava; chorei em boa parte da missa. Aliás, na minha gravidez eu chorei muito, em todas as missas, na hora da comunhão. Uma coisa que eu não comentei é que as semanas do tempo comum coincidiam com as minhas semanas de gravidez. Por exemplo, eu com 20 semanas, ia na missa, era a 20ª semana do tempo comum. Católicos entenderão. rsrsrsrs Aí veio o advento e me preparava para vinda da Mari.

À noite saímos para dar uma volta, decidimos passar na rua XV e ver o coral das crianças no Palácio Avenida. Estava muito cheio o lugar e ficamos meio de longe, ouvindo as músicas. ‘Borboleta pequenina saia fora do rosal, venha ver quanta alegria, hoje é noite de Natal!’ E chorei. No fim do espetáculo uma queima de fogos linda. Orei a Deus em agradecimento. ‘Será que minha borboletinha vem para o Natal?’

15/12/14

15/12/14

Na segunda-feira, dia 15, fomos na consulta com o obstetra. Falei pra ele das dores que senti na sexta, que achava que a Mari estava descendo. Na calma de sempre ele responde ‘Provável. Vamos ver no ultrassom.’ Deito na maca e lá vem ele. ‘Hum…É… não consigo ver mais o perfil dela, está muito baixa. Se preparem, ela não vai esperar até dia 31 pras nascer não’. Saímos de lá cheios de expectativa, fomos dar uma volta no Shopping Curitiba. Pedi ao Marcos pra tirar uma foto minha.

Liguei pra minha mãe: ‘O médico disse que ela vem antes da virada, deixa a mala pronta, mãe!’.