Desmame noturno – plano do Dr Gordon

bebê que dorme mamando

*O post de hoje é sobre o sono do bebê. Mais especificamente ele é direcionado às mães que tem um bebê com mais de um ano de idade e que mama no seio. Mas se o seu bebê toma mamadeira e também acorda muitas vezes à noite, talvez você também aproveite algumas das minhas dicas.

Desde os 9 meses de idade a Mariana dorme na caminha dela, no quarto dela. Já relatei aqui que ela tinha dificuldade para dormir, que só dormia mamando e que acordava várias vezes na madrugada querendo mamar. Fomos assim até ela completar 14 meses, quando eu decidi implantar algumas mudanças na tentativa de melhorar a qualidade do sono da nossa família.

Eu li vários textos, assisti vídeos de especialistas em sono dos bebês. Filtrei muita coisa e acabei seguindo um plano adaptado para nossa realidade. Basicamente eu segui um misto da Técnica da Remoção Gentil e o Plano do Dr Gordon. Esse método de mudança nos padrões de sono pode ser encontrado em vários blogs de maternidade, ele é bem conhecido entre as mamães na internet. A ideia é ensinar o bebê a adormecer sozinho, na expectativa de que ele acorde cada vez menos na madrugada e não necessite mamar para voltar a dormir.

A nossa rotina noturna passou a ser a seguinte: às 20h o jantar, em seguida o banho da Mariana e então ficamos com ela no quarto até ela adormecer. Nessas horas no quarto dela ficamos lendo livrinhos, brincamos com blocos, bonecas, cantamos. Ali pelas 22h eu me sentava na cama com ela e oferecia o mamá. Quando eu percebia que ela estava adormecendo eu ia com o dedo mindinho no canto da boca dela e afastava os lábios, de modo a entrar um pouco de ar. Então ela afrouxava a pega e eu tirava o seio da boca dela.

Nos primeiros dias fazendo isso ela protestava muito, chorava. Mas eu a consolava, abraçava, fazia carinho e dizia: é hora de dormir, o mamá precisa descansar. Aí eu embalava ela um pouco no colo até ela dormir. Depois ela ia para a cama já adormecida. Nessa etapa a ideia era ensina-la a adormecer sem o peito. Foram umas 3 noites mais difíceis, mas logo ela aprendeu que eu ainda estaria ali.

Nessa primeira etapa eu mudei somente o jeito de adormece-la, mas quando ela acordava na madrugada eu ainda permitia que ela mamasse. Fazia a mesma técnica: deixava mamar um pouquinho e depois tirava, para ela embalar no sono sem o peito. Ficamos nessa quase um mês e logo ela se adaptou. Ela mamava um pouco, eu colocava o dedo no cantinho da boca e ela já soltava o peito, virava o rosto de lado e dormia. Ela ainda acordava na madrugada umas 2 ou 3 vezes.

Então partimos para o desmame noturno efetivo. A rotina noturna continuou a mesma, mas agora eu não embalava mais a Mari para ela adormecer. Ela mamava, o sono batia e eu tirava o seio, colocava na cama ainda acordada. Falava que era hora de descansar, fazia carinho e esperava ela apagar. Novamente ela protestou. Nessas noites eu confesso que só segui com o plano porque meu marido apoiou muito e ficava ali junto da caminha dela também.

Eu a colocava na cama e ela chorava, pedia colo para adormecer. Eu ficava de coração partido. Pegava, dava um abraço e falava ‘hora de dormir’. Aí colocava na cama de novo. Tantas vezes ela saía da cama e nós dois colocávamos de volta. Foram 3 noites difíceis, mas em nenhum momento a deixamos chorar sozinha. Ficávamos ali afagando as costas dela até ela apagar.

Quando ela acordava na madrugada eu repetia o processo. Pra cama, com afagos, mas sem peito. Passei a deixar um copo com água do lado da caminha dela. Ela acordava e pedia o mamá. Eu explicava que estava escuro lá fora, mostrava a janela e falava ‘agora é hora de dormir, o mamá só amanhã, quando ficar claro’. Pode parecer bobagem fazer isso, mas ao contrário do que muita gente pensa os bebês tem uma capacidade boa de compreensão. Com 15 meses ela já entendia a minha fala. Só é preciso lembrar de se limitar a uma fala pequena, não muito complexa, senão o bebê se perde.

Com o tempo ela foi acordando cada vez menos na madrugada e a hora da cama ficou muito mais tranquila. Ela entrou na rotina nova e aprendeu que, embora ela não tivesse mais o mamá da madrugada, a mamãe ou o papai estariam ali se ela precisasse. Hoje ela vai para a cama acordada, depois de mamar. E na madrugada se ela acorda eu ofereço água e depois cama. Muitas vezes eu só a deito de volta no travesseiro e ela volta a dormir sozinha, rapidamente.

Geralmente ela acorda às 5:30h da manhã e vai pra minha cama. Ali ela mama e ficamos até as 8:30h dormindo juntas. Então levantamos, o pai sai para o trabalho e a rotina da manhã segue. Ali pelas 10:30h ela faz um cochilo até quase meio dia. A tarde ela faz outro cochilo na creche, geralmente entre as 15:30 e as 16:30h.

Aos poucos ela tem dormido algumas noites inteiras (pelo menos da 23h às 5h direto). Mas é claro que se há necessidade, sou flexível. Se ela está doente ou com febre devido o nascimento de dentes (ela ganhou 8 dentes nos últimos 3 meses) a rotina fica em segundo plano e acabo permitindo que ela mame um pouquinho, ou trazendo ela para a minha cama. Aí quando essa crise passa, voltamos um passinho pra trás e implantamos a rotina de volta.

Eu quero frisar aqui que o plano de desmame noturno do Dr Gordon é indicado para crianças a partir de 1 ano de idade e que estejam bem de saúde, ok? Se o bebê está adoentado, espere um pouco mais. Esse plano é também uma alternativa ao desmame total. Muitos profissionais indicam que a criança seja totalmente desmamada para que possa dormir a noite toda, infelizmente. Mas o Dr Gordon propõe o desmame noturno como uma solução menos radical.

Aqui em casa só rolou o desmame noturno mesmo. Durante o dia a amamentação é livre e pretendo seguir assim até os 2 anos de idade, ou mais, quem sabe?

 

2 ideias sobre “Desmame noturno – plano do Dr Gordon

  1. Aqui em casa eu tive que fazer o desmame noturno, pois estava com agonia de amementar! Eu não tinha mais paciência com tantas as vezes que ela queria peito à noite. Aqui compartilhamos a cama e o mamá ficava à disposição, open bar. Aí eu cansei disso, já grávida de novo, bico do peito mais sensível… tivemos que desmamar mesmo. Ela tinha 23 meses quando decidi usar o método to Jay Gordon.
    Só que ao invés de fazer eu mesma, passei a bola pro marido. Eu já havia tentado antes e ela ficava inconsolável se eu tirasse o peito da boca dela.
    A rotina da noite seguia, banho, escovar dentes, eu dava peito lá no sofá, marido pegava Alma e colocava na cama. Ele cantava, lia, fazia cafuné… Alma dormia. Ela chorou bem pouquinho nos dois primeiros dias. Eu colocava fone de ouvido pra não ouvir (ou ia tomar banho). Mas aaron me garantiu que não era choro desespero e ele tava lá cantando, acalmando.

    Hoje estamos há dois meses nesse processo e tem dado super certo. Ela não acorda mais à noite! Aqui em casa a rotina é diferente, pois ela vai pra cama 6.30-7.30 da noite e acorda 6-7 da manhã e aí passa por cima do pai e vem pro meu peito.

    Nas primeiras semanas é claro que ela acordou várias vezes pra querer peito (5 vezes na primeira noite, 3 vezes na segunda… e ficou assim por um tempo), mas bastava o aaron cantar pra ela, que ela logo acalmava. Foram umas duas, 3 semanas assim. E eu lá, do lado dela (com o aaron no meio), doida pra dar o peito… mas me segurei, fui firme.

    Hoje eu já consigo colocá-la pra dormir se o pai não estiver em casa no horário de ela ir pra cama. Eu posso até usar o peito, sem problemas!

    Graças a Deus ela estava pronta… e eu também.

    Preparando-me agora para começar tudo de novo daqui 16 semanas.
    Beijo pra vocês e tudo de bom!

  2. Oi Bruna! Obrigada por compartilhar a experiência de vocês!
    Aqui dificilmente a Mari aceita o papai sozinho. Muito complicado isso! Mas estou conseguindo que ela adormeça sem o peito e isso ajuda demais!
    Parabéns pelo baby 2!
    Beijos!

Os comentários estão fechados.