O sono da Mariana

Mariana era uma recém nascida tão tranquila, que parecia mentira. Quase não chorava, dormia no carrinho ao lado da minha cama. Eu amamentava sempre que ela demonstrava que queria, em livre demanda. Ficava muito tempo com ela no colo, embalando e curtindo a pequena. Logo ela entrou num ritmo e mamava a cada 2 ou 3 horas. Entre as mamadas era um cocô e uma soneca, fosse dia ou fosse noite.

Com 1 mês de vida eu comecei a coloca-la para dormir no quarto dela e funcionou muito bem. Se ela resmungava eu ouvia, pegava e ia amamentar na sala. Nesses dias o discovery chanel foi meu parceiro de madrugada. kkkk Assistia muita coisa legal e me mantinha acordada. Se eu amamentasse na minha cama, sem a TV, eu cochilava com ela nos braços. 

Aqui em casa não tivemos as tão temidas cólicas. A Mariana simplesmente mamava (por longos minutos, às vezes horas) ficava no colo, arrotava e dormia. Não tinha gases, não tinha intestino preso, nada. Era aleitamento materno exclusivo e zero choro. Rsrsrs Nessa fase eu dormia muito pouco, pois era um longo ritual de mamar e por para dormir. Era cansativo, mas sempre que ela dormia, eu dormia também, mesmo durante o dia.

Aos poucos o sono a noite foi se prolongando e aos 3 meses ela dormia direto da meia noite às 6h.  Se ela acordava a noite, mamava e logo pegava no sono novamente. Algumas noites eu acordava e oferecia o seio com ela dormindo, assim ela mamava e nem acordava. No entanto, as sonecas diurnas foram encolhendo, à medida que ela ficava mais ativa e se interessava mais pelas coisas, pelas pessoas, pelo mundo.

A nossa rotina noturna era a seguinte: banho às 21h, e muito colo e mamá depois. Ela ficava cochilando e mamando, despertava um pouco… nessa a gente ficava até 23h, meia noite, quando ela dormia de verdade e soltava o seio de vez. O ruim era que eu não conseguia fazer nada a noite. Muitas vezes eu tomava banho e jantava na madrugada, depois que ela já estava apagada no bercinho dela.

Nessa época meu marido trabalhava o dia todo e fazia faculdade a noite. Eu era 100% responsável pelos cuidados da Mariana. Era exaustivo, a casa ficava uma bagunça, eu comia o que tivesse na geladeira, mas estava feliz em ver a bebê crescendo calma e feliz. Quando o Marcos estava presente ajudava como podia, mas como eu amamentava em livre demanda, ela passava a maior parte do tempo no meu colo.

Quando ela completou 4 meses veio a primeira alteração no ritmo de sono e eu simplesmente pirei. Cadê a minha bebê boazinha e fácil? A Mariana começou a acordar várias vezes a noite. Mamava, mamava, mamava e só dormia bem no meu colo. Lutei bravamente por uma, duas semanas, até que não tive opção e levei a bebê para minha cama. Mas não adiantava, eu não conseguia desligar, tinha medo de sufoca-la, que ela caísse da cama, que o marido rolasse por cima dela…. enfim, eu não dormia. Essa crise durou umas 6 semanas. Aos poucos ela foi aceitando dormir sozinha de novo e acordando menos vezes.

Mas, próximo dos 7 meses veio outra crise. Tudo de novo! Só colo, só peito, na minha cama. No dia seguinte bebê e papai acordavam felizes e a mamãe acordava um bagaço. Tentei uma tática nova: colchão de casal no chão para nós duas. Funcionou! Finalmente eu conseguia dormir melhor, pois tinha mais espaço e não tinha medo que ela caísse no chão. Mas o número de vezes em que ela mamava na madrugada era incontável. Rsrsrs eu dizia que era o mamá infinito.

Quando ela completou 8 meses eu decidi que iria voltar para minha cama. O marido estava dormindo sozinho há semanas e eu percebi que a gente ia se distanciando, embora ele não reclamasse. Eu decidi tentar deixar a Mariana no colchão e fugir de volta para o meu quarto na madrugada. Algumas vezes funcionava, noutras não.

Em setembro ela completou 9 meses e então eu decretei o fim do berço no quarto dela. Ele já estava alí só ocupando espaço há meses, então decidi desmontar. O colchão de casal e o bercinho saíram do quarto e deram espaço a uma cama auxiliar. Uma cama de solteiro rente ao chão.

A Mariana aceitou bem a cama, mas ainda acordava muito nas madrugadas. Duas ou três vezes no mínimo. Perto dos dez meses foi piorando: ela ficava agitada na hora de dormir, simplesmente resistia ao sono, mesmo comigo deitada ao lado dela na caminha. Eu já estava há meses nessa labuta, já estava cansada e preocupada.

Na consulta com a pediatra tudo ia muito bem, a saúde da Mariana estava perfeita, ela comia bem, mamava, mas não queria dormir. Após uma longa conversa e o relato da minha luta, ela disse que só poderia ser os dentinhos chegando e me passou uma medicação em pozinho, que acalmaria a gengiva da neném.

Após 3 dias a medicação fez efeito e a Mari parou de lutar contra o sono. Começou a dormir melhor, com menos agitação. A caixinha durou 10 dias e quando a medicação acabou eu decidi testar uns dias sem a medicação. Em 3 dias eu já estava arrependida! A insônia voltou com tudo. Retornamos com a medicação e a Mari voltou a dormir. Mas… nada de dente! Ela não tem nenhum dentinho ainda.

Agora perto de completar um ano ela tem dormindo bem, medicada, e as sonecas durante o dia tem até dado as caras por aqui essa semana. Estou super esperançosa de que essa fase de bom sono dure um pouquinho, para que eu tenha tempo de escrever aqui no blog, atualizar o álbum de scrapbook dela, dar um tapinha na bagunça da casa…

O que eu aprendi com tudo isso é que nada é constante quando a gente tem um bebê. Eles são muito sensíveis e qualquer alteração na rotina afeta o sono. Tudo são fases, tudo muda muito. Ao menos aqui em casa, em relação ao sono, tem sido assim. O que me ajudou foi aceitar que a Mariana é assim, que eu não tenho controle da situação. Que eu posso ajudar com algumas medidas, mas não posso tomar conta de tudo, nem programá-la num ritmo meu.

Espero que o meu relato possa ajudar alguém. Se você tem alguma dúvida ou quer compartilhar sua experiência de sono do bebê, deixe seu comentário! Será um prazer responder. Abraços e bons sonhos!

Mari dormindo no ensaio de 3 meses

Mari dormindo no ensaio de 3 meses

6 ideias sobre “O sono da Mariana

  1. Tammy, tudo bem? Valentina esta com 3 meses e 22 dias. O sono dela esta começando a melhorar, ela ja dorme 7 horaa seguidas a noite, resmunga, mama e dorme mais 2 ou3. Mas passou por picos de crescimento onde acordava ate 5 vezes pra mamar. Assim como a Mariana ela nao gosta de dormir de dia. Tira sonecas de no máximo 1 hora, e eu recebo muitass críticas por isso Affff. Aa pessoas me dizem: nossa o meu dormia 5 horas seguidaa a tarde!!! Haja paciência! Mas vamos levando kkkk como voce disse o mais importante é aceitar. Lutar contra nao adianta. .. .Saudades de você! Estou adorando seu blog. Beijos

    • Oi Rafaela! Algumas pessoas acham que o bebê tem que dormir o dia todo, imagina que tédio! Eles começam a se interessar pelas coisas e é normal dormir menos. Cada bebê é único, tem seu próprio ritmo, são pessoas como eu e você, que tem gostos e vontades. As pessoas sempre abrem a boca para criticar e parece que os filhos dos outros sempre são mais fáceis que os nossos. Rsrsr Obrigada por comentar, e que a Valentina continue dormindo bem a noite. Beijos!

  2. Olá
    Nos primeiros meses de vida da minha filha tive muitos problemas para ela dormir durante a noite, para resolver isso colocava canção de ninar para ela, nunca mais tive problemas, ela adora a canção, os bichinhos coloridos. Agora sempre dormi escutando música.

    • Oi Raquel! Aqui às vezes o que ajudava era aquele som que imita o útero sabe, ruído branco. Parece um barulho de rádio sem sintonia, rsrsrsrs. Mas muitas vezes nada dava jeito. Obrigada por comentar, deve ser uma delícia dormir com essas canções de ninar. É um habito gostoso que você ensinou para sua filha.
      Beijos!

Os comentários estão fechados.